O que é a tecnologia de restrição geográfica e como você pode contorná-la?

Geo-Restricted Content

Se você já tentou acessar um site ou uma página de um site e, ao invés de obter o conteúdo que esperava, viu uma mensagem lhe dizendo que o conteúdo não está disponível em sua região, você encontrou um problema de limitação geográfica.

Caso você não saiba muito bem como essa tecnologia funciona, ou o que é, na realidade, ou apenas quer saber mais sobre o assunto (como contorná-la, se é ou não legal, ou por que é usada), elaboramos este artigo que pode ser lido em 10 minutos e que cobre tudo com profundidade.

O que é a tecnologia de restrição geográfica?

Restrições geográficas (também chamadas de bloqueios geográficos) são um método que os provedores de conteúdo usam para limitar o acesso a seus serviços e plataformas numa base geográfica. Essencialmente, isso lhes permite tornar seus sites disponíveis apenas em países específicos.

Um bom exemplo disso é o tubi – uma plataforma gratuita de TV no modelo streaming. Se você tentar acessá-la fora dos EUA, terá acesso restrito a seu conteúdo. Se você tentar acessá-la a partir dos EUA no momento, receberá uma mensagem lhe dizendo que o serviço não está disponível nessa região.

A Netflix USA é outro bom exemplo do bloqueio geográfico em ação. Nesse caso, eles não lhe dizem que o serviço não está disponível em seu país. Ao invés, eles geralmente lhe redirecionam para uma biblioteca de conteúdo disponível em sua região.

Como as restrições geográficas funcionam?

É bem simples – restrições geográficas são possíveis porque os sites podem ver sua localização quando você se conecta a eles. Então, tudo o que site precisa fazer quando ele recebe uma solicitação de conexão de seu aparelho é conferir se está numa lista negra ou não. Se estiver na lista negra, vai redirecionar você para uma página reservada para sua região (como a Netflix faz quando lhe redireciona para o conteúdo disponível em seu país). Ou o site pode recusar sua solicitação e mostrar uma mensagem dizendo que o serviço não está disponível em sua região.

Como um site vê sua localização geográfica? Geralmente, eles obtêm essa informação de:

  • Seu endereço IP
  • Endereços Wi-Fi e/ou Bluetooth MAC 
  • A localização da sua conexão Wi-Fi
  • O GPS do seu aparelho
  • Sua RFID (Identificação por Radiofrequência)
  • Pelo GSM do aparelho (2G) ou ID do celular CDMA (3G)

6 razões pelas quais bloqueios geográficos são usados

Aqui está um resumo das principais razões pelas quais você encontrará limitações geográficas quando estiver online:

1. Acordos de Direitos Autorais

Provedores de conteúdo (como a Netflix, BBC iPlayer, Hulu, etc.) não detêm os direitos de todo o conteúdo que exibem – eles só têm o direito de transmiti-lo. Então, é o detentor original dos direitos autorais que decide se o conteúdo pode ou não ser transmitido ao redor do mundo. Se isso não for permitido, as plataformas de conteúdo precisam respeitar essas regras, e a tecnologia de limitação geográfica ajuda-os a fazer isso.

2. Direitos de licença

Os detentores de direitos autorais e provedores de conteúdo precisam comprar direitos de licença num país específico se quiserem transmitir seu conteúdo lá. Isso pode ser bem caro (sobretudo quando você pensar sobre outros impostos específicos do país que podem incorrer), então, não é difícil de imaginar que comprar direitos de licença ao redor do mundo está fora de questão.

3. Discriminação de preço

Limitações geográficas podem ser usadas para a prática de discriminação de preços – o ato de exibir preços diferentes com base no país do qual o usuário está se conectando. Lojas online e companhias aéreas tendem a fazer isso para melhor dividir o mundo em vários segmentos de mercado, e aumentar os lucros. 

4. Blackouts

Nos EUA, bloqueios geográficos são frequentemente usados em blackouts – uma prática que é “popular” entre empresas de mídia, redes nacionais, ligas esportivas e associações. Basicamente, limitações geográficas são usadas para garantir que um certo evento esportivo não seja transmitido numa região em que:

  • O evento em questão está sendo realizado.
  • Os direitos de distribuição são exclusivos de redes nacionais.
  • O dito evento já está sendo transmitido localmente.

5. Razões legais

Métodos de limitação geográfica podem frequentemente ser empregados por um governo por questões legais. Por exemplo, o governo do Reino Unido usa bloqueios geográficos para assegurar que seu conteúdo de TV só esteja disponível no Reino Unido (com algumas exceções) porque é financiado pelo dinheiro dos impostos dos cidadãos.

6. Requerimentos legais

Às vezes, algumas empresas precisam seguir leis internacionais e nacionais específicas para operar em um país ou região – e essas leis podem forçar essas empresas a usar métodos de restrições geográficas. 

Por exemplo, cassinos normalmente precisam usar restrições geográficas para estar em conformidade com leis sobre jogo online – especialmente porque não têm permissão legal de oferecer seus serviços em países que proíbem jogos de azar online.

O uso da tecnologia de restrições geográficas é legal?

Geralmente, sim. Atualmente, a União Europeia (UE) parece ser o único lugar onde ações legais são tomadas contra métodos de restrição geográfica. Aqui está um rápido resumo do que está acontecendo:

  • Em 2018, a UE aparentemente proibiu o que chamou de “bloqueio geográfico não justificado”. Apesar de parecer algo bom, a proibição não alcançou muita coisa, já que havia uma brecha legal afirmando que a proibição não se aplicava se o bloqueio geográfico fosse necessário para garantir conformidade com requerimentos legais. A proibição também não cobria alguns tipos de mídia, como vídeo games e eBooks. 
  • Alguns meses depois, a UE adotou regras de portabilidade da mídia digital. Basicamente, as novas regras afirmavam que provedores de conteúdo que ofereciam serviços pagos precisavam fornecer um tipo de “roaming” nos Estados-membros da UE. A Sky Go e a NOW TV são bons exemplos de como isso funciona, já que permitem a usuários assistir a conteúdo do Reino Unido fora do país em até 30 dias se estiverem em países que fazem parte da UE.
  • Perto do fim de 2018, uma nova regra da UE entrou em vigor, que essencialmente eliminou o bloqueio geográfico no e-commerce.

Mas países europeus que não fazem parte da UE podem não seguir essa legislação, então, é provável que o bloqueio geográfico não seja visto como um problema legal nesses locais. 

Em regiões como a América do Norte e a Austrália, o bloqueio geográfico é considerado uma prática normal, como forma de proteger os direitos autorais de artistas, produtores de TV/cinema, e outros criadores de conteúdo. Para locais como Ásia, Oriente Médio, América do Sul e África, não há leis claras que estipulam se o bloqueio geográfico é ou não legal. Geralmente, também é praticado lá.

4 maneiras fáceis de acessar conteúdo restrito geograficamente

Geralmente, a melhor e mais simples forma de contornar métodos de restrição geográfica é ocultar seu endereço IP ou localização quando está online. Apesar disso soar difícil de fazer, não é.

Accesing Geo-Restricted Content

Na verdade, você pode tentar quatro opções:

1. VPNs 

Uma VPN ajuda você a contornar bloqueios geográficos ao substituir seu endereço IP com o endereço do servidor VPN ao qual você se conecta. Então, se você se conectar a um servidor VPN localizado nos EUA, pode acessar sites limitados geograficamente que só estão disponíveis lá.

VPNs são bem fáceis de usar, e não podem ser realmente bloqueadas por provedores de internet (como serviços Smart DNS podem). Além disso, já que uma VPN usa criptografia, pode evitar que seu provedor limite sua banda larga também.

Ainda assim, tenha em mente que a criptografia de uma VPN pode interferir nas suas velocidades de conexão. Isso não quer dizer que sua velocidade vai diminuir 100%, mas dependendo da força da cifra de criptografia e do protocolo de VPN, você pode notar alguma lentidão.

Vantagens

  • Para esconder seu endereço IP, só é necessário se conectar a um servidor VPN.
  • Já que VPNs usam criptografia, elas podem evitar a limitação de banda larga pelo seu provedor.
  • A maioria dos servidores VPN vêm equipados com conexões de alta velocidade e banda larga ilimitada.
  • Não existe uma maneira de provedores de internet bloquearem VPNs.

Contras

  • Dependendo da força da criptografia e do protocolo da VPN, suas velocidades podem diminuir.

2. Serviços de Smart DNS

Um Smart DNS é um serviço que você pode usar para esconder o endereço DNS verdadeiro que é atribuído a você pelo seu provedor. Apesar de não ser o mesmo que esconder seu endereço IP, seu endereço DNS também contém informações que revelam sua localização geográfica verdadeira. Então, substituí-lo por um novo endereço, que contém dados apontando para um lugar em um país onde o conteúdo está disponível, é uma boa forma de contornar bloqueios geográficos.

Além disso, um Smart DNS também vai interceptar suas solicitações de conexão para qualquer site que você queira acessar, e substituir os dados encontrados neles que deixam vazar sua localização geográfica com novas informações que sejam ligadas a uma localização diferente, numa “lista branca”.

Outra coisa muito boa sobre serviços de Smart DNS é a falta de criptografia, que lhe permite acessar conteúdo restrito geograficamente enquanto aproveita as velocidades originais fornecidas pelo seu provedor. Além disso, a maioria dos serviços de Smart DNS dão acesso a uma imensa lista de sites pré-desbloqueados que você pode acessar instantaneamente.

Por outro lado, um problema é que seu provedor poderia bloquear o Smart DNS que você usa com um proxy transparente. E às vezes você pode não achar o site que deseja na lista de sites pré-desbloqueados. Geralmente, esse não é um grande problema já que você pode pedir ao provedor para incluir o site que você quiser na lista.

Vantagens

  • Um Smart DNS é fácil de usar e ajuda você a ocultar sua localização geográfica ao esconder o endereço DNS.
  • Não é usada criptografia, então, você pode aproveitar as velocidades originais.
  • Serviços de Smart DNS dão acesso a uma imensa quantidade de sites pré-desbloqueados.
  • Um Smart DNS pode ser configurado em quase qualquer aparelho conectado à internet.

Contras

  • Seu provedor poderia bloquear o Smart DNS com um Proxy Transparente.
  • A lista de sites pré-desbloqueados não contém todos os sites de uma região.

3. Servidores Proxy

Um servidor proxy atua como um intermediário entre você e a web. Você envia suas solicitações de conexão para ele, e ele as encaminha para o site correto em seu nome – mas faz isso usando seu próprio endereço IP, ao invés do seu. Então, ajuda você a contornar bloqueios geográficos com facilidade. 

Além disso, um servidor proxy pode usar o cache local para entregar respostas mais rápidas às suas solicitações. Basicamente, se um servidor já tem o conteúdo que você solicita em seu cache local, não precisa encaminhar sua solicitação para a web, poupando-lhe tempo.

Além disso, alguns proxies não usam criptografia, então isso não vai interferir em suas velocidades online. Mas isso não é muito quando você considera que vários servidores proxy têm limitações de banda larga que lhe impedem de obter as velocidades que você deseja.

Geralmente, outros problemas incluem a falta de suporte técnico, o fato que alguns servidores (especialmente os gratuitos) tendem a ser sobrecarregados e sofrer muito tempo fora do ar, e que proxies usam conexões HTTP que revelam seu endereço IP verdadeiro ao detentor do proxy.

Vantagens

  • Um proxy oculta o seu endereço IP, e pode retornar resultados mais rápido se são arquivados no cache local do servidor.
  • Servidores proxy que não usam criptografia não deveriam interferir com suas velocidades online.
  • Vários serviços de proxy podem ser usados diretamente do seu navegador.

Contras

  • Apesar da falta de criptografia, na maior parte do tempo, você não terá altas velocidades, porque os servidores têm limitações de banda larga e estão sobrecarregados.
  • Se você usa um servidor proxy com conexões HTTP, o proprietário pode ver seu endereço IP verdadeiro.
  • Proxies tendem a sofrer muito tempo fora do ar, e geralmente não oferecem suporte, já que geralmente são gratuitos.

4. Tor (The Onion Router)

O Tor é uma rede de anonimato gratuita que oculta seu endereço IP quando você está online, permitindo-lhe contornar eficazmente bloqueios geográficos. Sua pegada digital também é escondida, já que seu tráfego online “rebate” e é criptografado entre vários relés do Tor. 

Mas o serviço apresenta alguns problemas. Para começar, os relés são operados por voluntários, então, não há garantia de serem 100% confiáveis. Por exemplo, um provedor pode desligar um relé se o encontrarem (o que pode acontecer com relés de saída, onde o tráfego do Tor não é mais criptografado).

Além disso, o atual número de relés do Tor é de cerca de 6 a 7 mil, enquanto o número total de usuários é de aproximadamente dois milhões. Isso significa que os relés estão frequentemente sobrecarregados, e você pode ter que lidar com lentidão.Por fim, há ainda o fato de que os governos podem bloquear o Tor completamente se realmente quiserem.

Vantagens

  • O Tor ajuda você a esconder seu endereço IP e a contornar bloqueios geográficos.
  • O tráfego do Tor é distribuído entre vários relés, escondendo seu tráfego digital e criptografando-o também.
  • O número de relés do Tor é inferior em comparação ao número de usuários do Tor, resultando em conexões lentas e instáveis.

Contras

  • Os relés do Tor podem ser bloqueados por provedores – especialmente relés de saída.
  • O Tor pode potencialmente ser bloqueado por governos.

Qual serviço é o método mais eficiente de contornar restrições geográficas?

Em geral, todos os serviços têm suas vantagens e desvantagens, apesar de parecer que o Tor é menos eficiente porque pode ser bloqueado pelo seu provedor de internet ou governo, e não existem relés suficientes para dar suporte ao imenso número de usuários, então, as velocidades são muito ruins.

Unblock Geo-Restricted Content

VPNs, serviços de Smart DNS e proxies são bem próximos entre si, mas serviços de Smart DNS e VPNs são uma escolha melhor. O ideal seria você escolher um provedor de VPN que oferecesse acesso a todos esses serviços de uma vez, para poder trocar livremente entre eles, dependendo do que funcionar melhor para você.

Precisa de um serviço para contornar métodos de restrição geográfica?

Temos exatamente o que você precisa – uma VPN de ponta que também oferece servidores proxy gratuitos e um serviço de Smart DNS também. Dessa forma, você pode ver qual método funciona melhor para suas necessidades. Se você quiser usar o Tor, nosso serviço oferece suporte para esse tipo de tráfego também.

Nossa VPN oferece mais de 30 servidores de alta velocidade, e todos vêm equipados com uma banda larga ilimitada. Os servidores também funcionam como servidores proxy, e você pode usar nossos serviços em várias plataformas, com nossos clientes user-friendly.

Nosso serviço de Smart DNS vem com uma imensa lista de sites pré-desbloqueados aos quais você ganha acesso instantâneo.

Oferta especial! Obtenha o CactusVPN por $ 2.7 / mês!

E assim que você se tornar um cliente CactusVPN, ainda teremos sua garantia de devolução do dinheiro por 30 dias.

Economize 72% agora

Conclusão

A tecnologia de restrições geográficas é usada por fornecedores de conteúdo para ditar em quais países vários serviços e conteúdo online estão disponíveis. Por exemplo, a Rádio Pandora só funciona nos EUA, e você não pode acessar o serviço de outro país.

Normalmente, restrições geográficas são empregados por razões de direitos autorais, porque o provedor de conteúdo não tem direitos de licença para transmitir o conteúdo em todos os países, por questões legais. O bloqueio geográfico também pode ser usado para a prática de discriminação de preços, numa tentativa de gerar mais lucros.

O bloqueio geográfico normalmente é considerado legal, a não ser na UE, onde regulamentações recentes a tornaram menos aceitável.

A melhor maneira de contornar restrições geográficas é ocultar sua localização geográfica na web. Isso pode ser realizado ao mascarar seu endereço IP (é possível fazer isso com um proxy, uma VPN ou o Tor) ou endereço DNS (que pode ser obtido com um serviço de Smart DNS). O ideal seria escolher um provedor que dê acesso aos serviços mais eficientes (proxy, VPN, Smart DNS) em um só lugar.

Posted on
Por
Tim escreve profissionalmente há mais de quatro anos e produz conteúdo específico sobre VPN, privacidade online e cibersegurança há mais de dois anos. Ele gosta de saber as últimas novidades sobre privacidade na internet, e de ajudar as pessoas a encontrarem novas formas de proteger seus direitos online.